sábado, 23 de março de 2013

Chapter Two


          Eu passei o resto do dia brincando com Matthew. Somente à noite, quando ele já dormia, fui para o quarto. Demi estava sentada na cama lendo um livro qualquer. Coloquei uma calça de moletom, tirei a camisa e deitei na cama de barriga para baixo.
          Uns cinco minutos depois, quando eu estava quase dormindo, Demi me sacudiu um pouco e chamou meu nome. Sentei-me na cama e, sem olhar para ela, perguntei.
Joe: O que foi?
Demi: Joe, eu pensei sobre essa viagem e... _ a interrompi _
Joe: Não se preocupe.  Falarei ao Bill que não vou.
Demi: Não, aceite.
Joe: Como?
Demi: Aceite o trabalho.
Joe: E ficar dois meses longe de casa?
Demi: Não irá ser problema, já que vamos com você.
Joe: Como assim? _ olhei-a _
Demi: Matthew e eu vamos com você nessa viagem. Tanto você como eu terá benefícios para o trabalho e, além disso, podemos passar mais tempo em família.
Joe: Ta falando sério? Quer mesmo ir comigo? _ perguntei sorrindo _
Demi: Ainda estou meio insegura com o destino da viagem, mas se for para ver você e Matthew felizes, eu faço qualquer coisa. _ sorriu _
Joe: Eu te amo! _ a abracei fortemente _ Você é a mulher mais incrível do mundo todo! _ cobri seu rosto de beijos _
Demi: _ riu _ Vai com calma, garotão. _ passou os braços ao redor de meu pescoço _ Terá que me dar uma recompensa agora.
Joe: O que quer minha deusa? _ perguntei enquanto a deitava na cama e deitava por cima dela, beijando seu pescoço _
Demi: Você sabe muito bem o que eu quero.
Joe: É, eu sei.
          Sorri maliciosamente e a beijei ardente e apaixonadamente. Fizemos amor até tarde da noite, esquecendo-nos de tudo e de todos. O que importava agora éramos nós.
(...)
       Adentrei a sala de Bill sorridente. Assim que me viu ele estranhou minha alegria, mas sorriu também.
Bill: Tem boas notícias, Joe?
Joe: Sim, eu irei para a Cidade do Cabo inspecionar a obra. Pode reservar as passagens.
Bill: As passagens?
Joe: Demi e Matthew iram comigo. Ela irá falar com seu chefe sobre a ideia da matéria.
Bill: Perfeito Joe! Irei reservar o voo para daqui três dias, tudo bem? _ assenti _ Já deixarei também um flat alugado. Como ficará dois meses não compensa reservar um quarto de hotel.
Joe: Tudo bem.
Bill: Está fazendo a escolha certa, Joseph. Não sabe o quanto sua vida melhorará depois dessa viagem. Seu salário pode chegar a triplicar!
Joe: Isso é muito bom, Bill. Se minha vida já era boa antes, agora ficará melhor.
Bill: Pode apostar que sim!
(...)
Joe: Demi, cheguei! Está em casa? _ perguntei no hall de entrada, enquanto tirava o paletó _
Demi: Estou na cozinha! _ gritou _
          Fui para a cozinha, onde ela cortava verduras na tábua, e a abracei por trás. Beijei sua nuca, o lóbulo de sua orelha, a bochecha e depois seus lábios. Ela sorriu com isso e continuou o que estava fazendo. Eu continuei a abraçando.
Joe: Bill já reservou as passagens e alugou um flat para ficarmos lá. Iremos daqui a três dias, está bem? _ murmurei enquanto me inebriava com o doce aroma de seus cabelos presos em um coque frouxo _
Demi: África do Sul. _ suspirou _ Nunca pensei que iria para lá algum dia.
Joe: Eu também não, mas a gente se surpreende.
Demi: Com certeza. _ foi andando em direção ao armário, mas como eu ainda abraçava ela, isso dificultava _ Sabe amor, eu consigo preparar o jantar mais rápido se você me soltar.
Joe: Mas eu não quero te soltar. _ a abracei mais forte _
Demi: Então o jantar vai demorar mais para sair hoje.
Joe: Não vejo problema. _ comecei a beijar seu pescoço, enquanto minha mão adentrava sua blusa _
Demi: Joe, agora não. _ disse em um gemido de protesto _
Joe: Por que não?
Demi: Estamos na cozinha e Matthew pode descer a qualquer momento.
Joe: Ah, ta bom. _ a soltei e sentei na banqueta, fazendo biquinho _
Demi: Own fofo. _ beijou meu bico _ Fica assim não, está bem?
Joe: É né, fazer o que?
Demi: _ riu _ Ah, amor, preciso te falar uma coisa.
Joe: O que?
Demi: Meus pais vão vir jantar aqui amanhã.
Joe: Ah, não acredito! _ bufei e revirei os olhos _ Só o que me faltava.
Demi: Joe, não trate meus pais assim.
Joe: O problema não sou eu, Demi, são eles! Eles que me odeiam!
Demi: Eles não te odeiam.
Joe: Não, claro que não. _ falei irônico _ Eles me adoram tanto que vivem tentando nos separar. Legal né?
Demi: Ta, digamos que eles não gostam muito de você. Mas você também não ajuda. Não tenta fazê-los gostarem de você.
Joe: Eu já tentei, mas não adianta! Eles sempre esfregam meus defeitos na minha cara e tentam juntar você com aquele seu ex-namorado idiota!
Demi: Sterling não é idiota.
Joe: Então vá ficar com ele! _ levantei estressado _
Demi: Joe, não vamos brigar agora. _ veio até onde eu estava e abraçou minha cintura _ Sabemos que as atitudes de meus pais são erradas, mas não podemos deixar que essas atitudes nos façam brigar. Você não quer isso, quer?
Joe: _ suspirei _ Não.
Demi: Então relaxe e não de bola. Se eu estou com você é porque te amo, e não o Sterling. Ele é só um amigo. Você é meu marido, o pai de meu filho e o único homem que eu amo e sempre vou amar. _ sorriu _ Entenda isso, okay?
Joe: _ sorri fraco _ Okay.
          Ela sorriu mais uma vez antes de me beijar e voltar a preparar o jantar. Subi para o quarto onde tirei o terno, e já trouxe Matt junto para o andar de baixo. Demi sabia como me acalmar quando o assunto eram seus pais.
(...)
Joe: Sabe o que eu estava lembrando? _ perguntei em seu ouvido _
Demi: O quê? _ murmurou e se aconchegou mais a mim _
Joe: O dia em que nos conhecemos.
          Demi e eu estávamos agora deitados e abraçadinhos em nossa cama, debaixo das cobertas. A televisão estava ligada, mas nos preocupávamos mais em ficar próximos do que prestar atenção no que estava passando.
Demi: _ sorriu _ Amo aquele dia.
Joe: Nem parece que faz mais de oito anos, mas eu lembro como se fosse hoje. _ falei olhando para o nada, relembrando _ Eu estava no segundo ano da faculdade de arquitetura e eu e alguns meninos da minha turma íamos ajudar a turma do segundo ano de jornalismo a fazer um trote nos calouros.
Demi: Eu bem me lembro. _ riu um pouco _
Joe: Iria ser algo simples, só iríamos jogar balões de água. Mas quando estávamos escondidos esperando a turma dos calouros, eu vi você. _ sorri para ela _ Estava linda andando distraída pelo campus. Os caras foram se preparar para atirar, então eu sai correndo em sua direção. Por sorte cheguei a tempo e protegi você de um enorme banho.
Demi: Lembro muito bem. Quando você chegou pensei que era um louco, mas então os balões foram atirados. A parte de trás do seu corpo ficou toda encharcada. _ riu _ Mas nesse dia nos tornamos melhores amigos.
Joe: Nesse dia eu conheci o amor da minha vida. _ vi seus olhos brilharem _
Demi: Mesmo não sabendo na hora, também conheci o meu. _ abraçou-me _ Foram ótimos os anos de faculdade.
Joe: Com certeza. Ficávamos juntos em todo lugar, só nos separávamos quando tínhamos que ir às aulas e quando íamos dormir. Fora isso, éramos amigos do tipo chiclete.
Demi: Lembro-me que as patricinhas do curso de moda morriam de inveja de mim por ter você sempre por perto, o cara mais gato de toda a faculdade.
Joe: Eu era tão desejado assim?
Demi: Não sabe o quanto.
Joe: É, mas somente você pode me ter.
Demi: E isso me deixa imensamente feliz.
Matthew: Mamãe... _ chamou da porta enquanto esfregava o olhinho com uma mão e segurava um ursinho com outra _
Demi: O que foi filho?
Matthew: Tive um pesadelo...
Demi: Own bebê, vem aqui, vem.
          Ela chamou e ele veio correndo para a cama. Matthew deitou entre nós dois e nos abraçamos, ficando o mais junto possível. Ele logo dormiu e Demi e eu ficamos conversando por mais um tempo até que dormimos também.

3 comentários:

  1. Capítulo perfeito, estou amando essa história.

    ResponderExcluir
  2. oieee to amando a história !!

    pode divulgar o meu blog ?
    http://fanficsjemi2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir