terça-feira, 24 de junho de 2014

My Princess - Chapter Twelve


Era período da tarde e Morrigan ajudava no treinamento de novos soldados que serviriam de vigias do castelo. Nenhum seria colocado já no exército. Não estavam prontos nem fisicamente e nem psicologicamente para uma batalha.
Os novos soldados treinavam longe do palácio, num campo onde se dividia o espaço entre o treinamento e entre o replante das árvores que abasteciam a vila e o castelo. Morrigan apreciava a oportunidade do serviço braçal no treinamento, e isso incluía o cortar da lenha e plantio das árvores. Ele dizia que não se conseguia um soldado perfeito de ele na conseguisse realizar todo o serviço que lhe era imposto.
E onde o rei e sua autoridade entram nisso? Se pensou que Rupert aprovava a opinião do amigo e conselheiro, estava certo. Um bom soldado só será perfeito se for moldado por boas mãos e um bom pensador. E quem melhor do que um oficial amigo para isso?
_ Vamos! Mais força com esse machado! Como espera derrotar um inimigo se não consegue nem ao menos cortar uma árvore?
_ Desculpe senhor! _ o soldado respondeu tentando aplicar o máximo de força possível no machado em suas mãos.
_ Morrigan! _ era Joseph chamando. Dando uma última olhada nos homens que cortavam as árvores, ele se afastou.
Diferente do comum, Joseph não estava sorrindo.
_ Que surpresa, meu príncipe. _ Morrigan cumprimentou fazendo sua costumeira reverencia.
_ Faz tempo que não nos vemos.
_ Se me lembro bem, não sou eu que andei me afastando.
_ Precisei de um tempo sozinho. _ o príncipe começou a andar, numa ordem muda para Morrigan o acompanhar _ Sabe como é, momentos importantes estão por vir e muitas coisas rondam minha cabeça.
_ Sim, compreendo. Seu baile, a possível coroação e, é claro, a noiva misteriosa. _ diferente do que teria acontecido antes, Joe não ficou surpreso. Obviamente fora seu pai que contara.
_ Parece que meu pai não consegue se segurar para contar a notícia.
_ Meu rei confia plenamente em mim e não guarda seus segredos. _ como esperado, pensou Joseph.
_ Está certo. Então, como sabe, faltam poucos passos para eu estar completamente apto ao trono, isto seria somente meu aniversário e a realização do casamento. Por isso fui até meu pai e concordamos em me integrar em algumas atividades dos oficiais que me ajudariam a entender melhor essa dinâmica de rei – exército. Não fique confuso por não saber de nada, conversei com meu pai agora há pouco.
_ Pensei que Vossas Majestades estavam desentendidas.
_ Pois estamos, mas minha integração no governo é mais importante que qualquer desentendimento familiar. Portanto, ajudarei e comandarei essas tarefas pelo dia de hoje até meu aniversário.
_ Se me permite a intromissão, que atividades dos oficiais irá se integrar, meu príncipe?
_ Não é intromissão, pois você estará junto, sendo essa uma das suas atividades. A entrega dos suprimentos ao povo.
Quando ainda estava em seus estudos, Joseph fora ensinado por seu tutor a ler todas as expressões corporais de uma pessoa e decifrar suas emoções sem precisar perguntar-lhes absolutamente nada. Na época achara besteira, mas agora vê que, para um governante, isso é incontestavelmente útil. Saber se Morrigan estava ou não nervoso o ajudaria a saber se o mesmo estaria mentindo.
_ A entrega dos suprimentos? _ oh, havia sim um tom nervoso nessa voz _ Creio que não precisemos de ajuda, majestade. Os oficiais e seus homens são capazes de realizar esta tarefa com sucesso.
_ Sei disso, mas insisto. A maior alegria de um rei é ver seu povo feliz, então quero ver seus rostos ao receberem esta ajuda.
_ Como quiser, alteza.
Joe sabia que Morrigan não estava contente, mas insistir mais seria como entregar que algo errado estaria acontecendo. Então o príncipe, ao invés de delatar o roubo – o que poderia levar Morrigan a convencer seu pai de que o príncipe mentira -, resolvera ir junto, o que garantiria que nada fosse roubado e que aquelas pessoas que realmente precisam estariam recebendo sua ajuda.
A partir dali tudo fora mais fácil. Em cavalos e carroças os oficiais e seus homens iam ajudando a distribuir a comida. Não passou despercebido a falta de organização dos homens, o que leva a crer que há muito tempo não faziam isso, e a felicidade do povo ao receber o percentual de cada família. Joe também ajudava na distribuição e seu coração se alegrou ao chegarem perto da casa de Demetria.
Demi estava na parte dos fundos da casa, fazendo suas habituais tarefas e sua mãe a ajudava. Seu pai estava trabalhando no mercado. Mas estavam ouvindo vozes na parte da frente da casa. Estranhando, levantaram-se e lavaram suas mãos, entrando na casa e saindo pela porta da frente. Viram então a aglomeração dos soldados distribuindo produtos em várias filas. Era a entrega de suprimentos! Há anos nãorecebiam essa ajuda. Claro que não era um banquete entregue, pois o rei e nem ninguém aceitaria que seu povo parasse de trabalhar e só esperasse receber ajuda. Só recebia quem trabalhasse de verdade. Mas ajuda era ajuda, e Demi desconfiava que sabia quem estava por trás disto.
E estava certa. De longe viu a silhueta de Joe em cima de uma carroça, ajudando a trazer os produtos para baixo para as pessoas. Fora nessa fila que Demi decidiu entrar com sua mãe. Demorou minutos a fio até que chegasse perto da estrutura da carroça. Distraído observando os soldados para que entregassem tudo corretamente, ele perguntou de modo automático quantos membros tinham na família, para dar a quantidade justa. Mas seu modo automático se desligou assim que ouviu aquela voz.
_ Três, alteza. _ Demi disse com um meio sorriso e Joseph desceu da carroça.
_ Todos adultos? _ perguntou segurando o impulso de sorrir abertamente e abraçá-la, como estava acostumado a fazer ao encontrá-la.
_ Sim, senhor. _ Joe sorriu fraco e se virou para um soldado que ainda estava em cima da carroça, pedindo-o para lhe passar os suprimentos. Enquanto isso Dianna apertava o braço de Demi. Nervosa do jeito que sempre fora, tinha medo de que qualquer um descobrisse antes da hora que o príncipe era o misterioso noivo de sua filha.
_ Aqui está. _ Joe segurava dois caixotes médios e entregou um nos braço de Demi e o outro nos da futura sogra. Acenou disfarçadamente com a cabeça para elas e assinou nos registros que ela já haviam pego sua parte enquanto saíam. Mas apaixonado do jeito que estava, não iria embora dali se não falasse com Demi por alguns minutos _ Aguarde alguns momentos aí sozinho, vou ali no bosque me aliviar. _ sim, podia ser um desculpa não totalmente higiênica, mas quem disse que homens não fazem isso? De qualquer modo, seus motivos eram outros mesmo.
Demi e a mãe ainda caminhavam calmamente até a porta de casa e ela olhou para trás um momento para ver Joseph, mas não o viu onde estava anteriormente. Preocupada, olhou em volta a sua procura. Encontrou-o a cinquenta metros de sua casa e ele olhava para ela. Com a cabeça, fez um gesto para o bosque e ela entendeu que deveria encontrá-lo lá, quando ele começou a andar.
Entrou rapidamente em sua casa e deixou o caixote na cozinha, saindo em disparada pela porta dos fundos. Sem avisar onde iria. Somente correu até o bosque e encontrou Joe lá segundos depois. Correu para abraçá-lo.
_ Como conseguiu isso? _ se referia a distribuição _ Mas espere, não disse nada que complique a mim e a minha família, não é? _ disse momentaneamente assustada.
_ Absolutamente. Na verdade não disse nada, apenas convenci meu pai de que, como príncipe e futuramente rei, era bom eu estar presente nesses momentos de contato direto com o povo. Então apenas tive de ir junto. Não teria como Morrigan ou qualquer oficial roubar nada, pois o que não for dado voltará ao palácio.
_ Você é incrível, sabia? _ ela disse enchendo seu rosto de beijos _ Muitas pessoas iram dormir hoje com um grande sorriso no rosto por causa disso.
_ Acho bom, e espero que você seja uma delas.
_ Claro que sim! Como acha que estou me sentindo ao ver que meu noivo é um homem justo e generoso?
_ Senhorita Demetria, por mais que seja ótimo ficar aqui com você acariciando meu ego, preciso voltar. Não quero que nenhum homem se aproveite de minha ausência para roubar um grão sequer.
_ Está certo, deve ir mesmo. Mas antes...
Um beijo era o que faltava. O que precisavam aquele dia para tudo ficar melhor. Ela colou os lábios nos dele de forma apaixonada e gentil. Então tudo estava bem.
(...)
_ Só faltam algumas famílias, majestade. _ um dos soldados avisou Joseph _ São as casas mais distantes.
_ Está tudo bem. Mande os outros soldados fazerem seu caminho de volta e nós três terminaremos. _ se referia a ele, o soldado que lhe informara e a outro soldado que guiava as rédeas da carroça.
_ Sim, alteza.
O soldado se fora e voltara segundos depois, tendo entregue a mensagem aos oficiais. Ele subira na carroça e continuaram o caminho até então chegar às casas das famílias que faltavam.
Eram casas pobres, algumas das mais pobres que Joseph já vira, por isso viviam longe. Algumas crianças que brincavam correram para chamar seus pais e anciãos apertaram o olho, tentando decifrar o porquê daqueles homens ali.
Joe e um dos soldados desceram da carroça e o outro ficou lá para passar os caixotes.
E então aconteceu. Gritos de homens, como gritos de guerras começaram a soar, não muito distantes. Na orla do bosque então um grupo de homens de várias idades corria em direção a eles com espadas empunhadas.

----------------------------------------------------------------------

Hey meninas :)
Confesso que me animei um pouco com os comentários. Espero que continue assim isso aqui e que isso me de mais força pra continuar. Nossa, soou meio depre isso, não é? kkk'
Como uma forma de ser legal kkk' vou responder os comentário :D

Mariana Barrozo: kkk' Com certeza tem porrada por aqui!! Mas a Demi não é muito esse estilo, ela é calma e doce. Mas recalcada posso garantir que a Candace é e ficará mais ainda futuramente ;)

Vitória: Thanks pelos elogios, fiquei sorrindo boba aqui kkk. E vocês já me animarão a não desativar o blog ;)

Andreia Moreira: Não tem problema tortuguita ^^ (tentei esse apelido pras minhas leitoras antigamente, mas eu mesma esquecia de chamar vocês assim kkk). Entendo isso de ter problema, inclusive eu tenho kkk Mas obrigada por comentar agora ^^

Carol Marques: Amém! Reconhecimento é um coisa que eu particularmente gosto e nesse momento to precisando kkk' E não to desanimada por agora, graças a vocês ^^

Anônimo: Dei uma olhada sim, ainda não deu tempo de ler muito bem, mas li as sinopses e tem histórias que parecem bem legais :D

Jemi Lovato: Ah, o baile ~le suspiro... Ainda não planejei tudo que vai acontecer nele, mas talvez (só um talvez) esperem tretas haha'

Shirlene Leny: Respondendo a sua pergunta... Olha, se por acaso acontecesse isso acho que o Joe daria a louca e ia querer matar o desgraçado kkk' (Joe anjo, i like it kkkk)

 Jubs Littleddevonne: Uau, quando vi o tamanho do seu coment fiquei tipo assim: 'O'. Mas claro que gostei kkk' E sério, gostei muito dos elogios, mesmo eu não achando que sou tão boa assim. As vezes leio minha antigas fics e penso: "como pude escrever isso?" kkk' mas olhar pro passado e rir é uma dádiva, melhor do que olhar e chorar. Mas se voce gosta das histórias, acho que vai gostar de uma que to escrevendo. Tenho só um capítulo e uns parágrafos do segundo ainda, mas acho que vai ser fofa e acho que voce vai gostar ;) E o cap ta aqui kkk' Espero que goste.

E beijos a todas que comentaram, as que não comentaram também kkk'
Até mais tortuguitas :D

5 comentários:

  1. Hum.... Oi.... Hum.... FIIIIIGHT!!!!
    Jezuizes del ciel (se liga no meu espanhol). Okok
    Ta, blz, o Joe Gatão Perfeito Mara Príncipe perfeito 2x e caridoso não vai se machucar, vai? E se machucar, a DemDem cuida dele... Hehe ��
    Ah, e recadinho pra Candece: bjnho no ombro, rekalcada!!!! Pq aqui é só tiro, porrada e bomba (literalmente, ate pq, o pai dela agr começou a guerra, enfim...)
    Demi pft + Joe pft= eu e as outras leitoras felizes pcrl!!!!
    Bjsss posta logooo!!!!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Joe tipo "com licença, vou mijar" huejhsjkd
    Ai meu Deus, esse pessoal que veio atacando eles é do reino rival né? Ai caramba, quero ler logo o próximo uehuhr adorei o cap, sinceramente. Quero um Joe desse na minha vida, onde vende??
    Que isso, suas fics são amáveis demais.
    Ahhhh com certeza vou gostar, amo histórias fofas e românticas hahaha mas perai, voce ta escrevendo duas fics ao mesmo tempo? Ou você já terminou a my princess ou só ta mais adiantada nela? É uma pergunta um tanto tola mas quando li sobre a outra q tais escrevendo fiquei com essa pergunta na cabeça... E QUE BOM QUE NAO VAI DESATIVAR!!!! VAMOS DAR GLORIAS IRMAOS!!!!!! Erguei as maos e dai gloria a Deus!!!! Hahahahhaha\
    Jemi nessa fic tão perfeito além do limite. Jeová cheiroso, como pode? Ai mal posso esperar pelo próximo!!!!!\
    Aliás, posso contar-te um segredo? Lendo suas histórias, senti vontade de voltar a escrever... Mas por enquanto só tenho pensado nisso. Uejk quem sabe um dia não é? E ah, me chame apenas de Ju ou Jubs, esqueça esse littleddevonne, é só um user que usava no tt e sou apx dai coloco em quase tudo. Sou louca, sei disso hahahh
    Enfim, beijo e poste logo!! ❤️

    ResponderExcluir
  5. vish... atacados de surpresa.. acho q são pessoas do.proprio reino que pensam q eles são pessoas do tal morrigan q vieram roubar deles... tomara q nada de ruim aconteça.

    possta logoo

    ResponderExcluir